Quem sou eu

Itaqui, Rio Grande do Sul, Brazil
Sou apenas uma pessoa curiosa em descobrir a razão e a finalidade do nosso existir.

sexta-feira, 30 de março de 2007

LIDERES MODERADOS

Após hecatombes, os povos que hoje detêm uma boa qualidade de vida, provêm ou são frutos do convívio com ações ponderadas, encontradas ou abrigadas na média do pensamento coletivo, a partir de Lideres Moderados, cujos desígnios existenciais têm na serenidade e na paz, a proteção contra o envenenamento de algumas utopias revolucionárias idealísticas. As agruras dantes sofridas por esses povos dotou-os de um senso moral inato, cujos valores, inculcados na consciência popular, exemplarmente, traduzem o significado de utilidade desse modo de vida.

LÍDERES RADICAIS

Significativas parcelas da sociedade, sempre estão em desacordo com a ordem estabelecida. Estas, indignadas, aspirarando soluções aos problemas percebidos ou vivenciados, facilmente se encantam e vibram com as soluções fortes e transformadoras propostas por vibrantes "líderes radicais", mesmo quando utópicas. Enamoram-se com as propostas idealísticas destes e ficam, por conseguinte, sujeitas a transformarem-se em massa de manobras políticas.

quinta-feira, 29 de março de 2007

Decisões

Nossas decisões, mais do que os conhecimentos técnicos, brotam dos nossos condicionamentos mentais.

terça-feira, 27 de março de 2007

IDEALISTA

Certos problemas ou necessidades geram, em algumas pessoas, idéias especiais. Estas uma vez consolidadas, cuja lógica busque algum aprofundamento na razão, transformam-se em "Ideário", o qual, com a conseqüente valia reconhecida e fortemente apoiada por uma facção da sociedade, cria tal carga de energias, efetivamente, capaz de remover montanhas.
Portanto, "o Idealista" é, por excelência, um radical convicto! Sua profunda certeza nas próprias concepções (os ideáis) o transformam num poderoso agente de transformação do mundo.

Conhecimento - Pecado Original

A espécie humana diferenciou-se das demais espécies ao acionar mecanismos mentais que lhe deu condições de elaborar raciocínios lógicos. Este foi seu "pecado original".
Por isso a espécie tornou-se escrava do "Conhecimento", cujo manancial infinito, tal como as aspirações da lógica, a fez perder a inconsciência estratificada do estado de vida pleno, latente, harmônico, conformado e resignado, antes vivido.
Em razão desse acontecimento, a tomada de consciência (o Pecado), a natureza lhe impôs a pena: "ser insaciável" (referente ao conhecimento) - o que lhe cria: frustrações, dor, infelicidade, etc., ou seja: "o inferno", onde o fogo é "comer o pão com suor do rosto".

Opine

Ao pé de cada tópico tem um link para seu comentário, clic e escreva um texto a respeito do assunto abordado ou outro, consoante com os propósitos do site.